quinta-feira, 8 de março de 2012

Satori

Existem coisas que mudam nossas vidas e que aos olhos de outros podem parecer totalmente triviais, irrelevantes, indiferentes ou mesmo desprezíveis. Essas coisas têm o poder de gerar instantes de perfeição.
Hoje tive a felicidade de viver mais um desses momentos.
Vi no Facebook que monja Coen pratica corrida! Li um texto dela sobre seus primeiros 5km, acompanhado da foto acima. Para mim, que sempre sinto uma ponta de culpa por me dedicar tanto à corrida e aos esportes em vez de sentar e meditar, foi uma liberação.
Mais emocionante ainda foi descobrir depois um texto de monja Coen sobre maratona, traçando um paralelo entre o esforço dessa prova e o esforço da prática meditativa.
Antes desse texto, eu li um outro no site de monja Coen - http://www.monjacoen.com.br/textos-budistas/textos-diversos/176-aquele-que-corre - sobre a corrida como meditação. Foi a primeira vez que vi outra pessoa, no caso o monge Yo Ho Ryo Kei (Napoleão Xavier Gontijo Coelho), falando sobre o que eu, na minha modestíssima prática budista, tento fazer na corrida.
Poucas vezes em minha vida senti tanta felicidade quanto ao ler esses textos.