terça-feira, 3 de maio de 2016

Gently weeping

The more the time, the more the pain.
Dearly beloved, Deeply missed.


Adoro essa música. Adoro essa versão, que era uma das poucas coisas disponíveis de Prince antes do lamentável 21/04. E hoje, que era ontem, mas agora agora já é hoje, topei com esse vídeo de novo.
Estou ouvindo sem parar. E fiquei pasma ao perceber o quanto a vibe muda quando Prince começa a solar. Eu não estava vendo, estava apenas ouvindo. E senti a mudança.
Vendo eu já tinha sacado desde a primeira vez. A música vem vindo normalzinha, morninha, pra mim sem graça. E aos 3:27... BUUUMMMM!
É um senta lá acachapante. Prince é tão melhor, tão maior. Majestade.
Desde sua morte, estou muito voltada para seu talento como guitarrista. Meu ex-marido, que sabe o tamanho de Prince em minha vida, surtou quando confessei que nunca tinha dado o devido valor às habilidades dele na guitarra. Acontece que o que mais me tantalizava em Prince era a safadeza. A franqueza sexual envolta em rendas e babados, extravasando pelas roupas justas, desfilando de salto alto, dançando sugestivamente, gemendo e gritando em falsete. Como aqui: