terça-feira, 26 de julho de 2016

O que tenho para dar

Cada um é o que é e dá o que pode.
Esses são meus presentes. Representam o melhor e o mais essencial de mim. Meu coração.
Como é bom sentir o desejo de compartilhar o que se tem de mais precioso. Melhor ainda fazê-lo.


Infelizmente não é só isso que existe em mim. Em alguns momentos manifestam-se qualidades bem menos nobres. Como a raiva. Nem sempre dá para conter. Quando não consigo, tento ao menos não fazer algo estúpido demais. Extravasar em objetos, não em pessoas. Rasgar, quebrar, deletar, jogar fora. De preferência, de boca fechada. De modo geral, não tenho cometido atrocidades, e no fim esses arroubos são uma boa limpeza. Junto com a energia irada, descarto objetos desnecessários ou inconvenientes. Abrir espaço.