quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

A Aspiração de Samantabhadra


Ho
Tudo que aparece e existe, todo samsara e nirvana
Têm uma só base, dois caminhos e dois resultados.
É a exibição de percepção e ignorância.
Por meio da aspiração de Samantabhadra,
Possam todos ficar plenamente despertos
Na cidadela do dharmadhatu.

A base de tudo é não-composta,
Uma inexprimível vastidão auto-surgida
Sem os nomes “samsara” e “nirvana”.
Se isso é conhecido, o estado de buda é atingido.
Sem conhecer isso, os seres vagueiam pelo samsara.
Possam todos os seres dos três reinos
Conhecer a base inexprimível.

Eu, Samantabhadra
Conheço naturalmente essa base
Sem causa e condição.
Estou livre dos defeitos da sobreposição e da negação de exterior e interior.
Não sou obscurecido pela escuridão da desatenção.
Portanto, a auto-aparência é não-obscurecida.
Se a autopercepção permanece em seu lugar,
Não há medo nem mesmo caso o mundo tríplice seja destruído.
Não existe apego aos cinco objetos desejáveis.
Na percepção auto-surgida e não-conceitual,
Não há forma sólida nem cinco venenos.

A lucidez incessante da percepção
São as cinco sabedorias de uma só natureza.
Por meio do amadurecimento das cinco sabedorias
Surgiram as cinco famílias do primeiro Buda.
Da expansão adicional da sabedoria
Surgiram os 42 budas.
Como exibição das cinco sabedorias
Surgiram os 60 bebedores de sangue.
Desse modo, a percepção da base jamais tornou-se confusa.
Como eu sou o primeiro buda,
Por meio de minha aspiração
Possam os seres dos três reinos do samsara
Reconhecer a percepção auto-surgida
E expandir a grande sabedoria.

Minhas emanações são incessantes.
Eu manifesto bilhões inconcebíveis,
Exibidas como o que quer que dome os seres.
Por meio de minha aspiração compassiva,
Possam todos os seres dos três reinos do samsara
Escapar dos seis estados.

De início, para os seres atordoados,
A percepção não surgiu na base.
Essa obscuridade da inconsciência
É a causa da ignorância atordoada.
Dessa inconsciência
Emergiu a cognição aterrorizada, enevoada.
O eu, o outro e a animosidade nasceram disso.
Por meio da intensificação gradual do hábito
Começou a entrada seqüencial no samsara.
Os cinco kleshas venenosos (emoções perturbadoras) desenvolveram-se.
As ações dos cinco venenos são incessantes.
Portanto, visto que a base da confusão dos seres
É a ignorância desatenta,
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possam todos reconhecer a percepção intrínseca.

A ignorância inata
É a cognição distraída, desatenta.
A ignorância rotuladora
É sustentar que o eu e o outro são dois.
As duas ignorâncias, inata e rotuladora,
São a base da confusão de todos os seres.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possa a obscuridade densa e desatenta
De todos os seres samsáricos ser dissipada.
Possa a cognição dualística ser esclarecida,
Possa a percepção ser reconhecida.

Dualismo é dúvida.
Da emergência da fixação sutil
O hábito grosseiro desenvolve-se gradualmente.
Comida, riqueza, roupas, lugares, companhias,
Os cinco objetos desejáveis e os parentes amados –
Os seres são atormentados pelo apego ao agradável.
Essa é a confusão mundana.
Não há fim para as ações do dualismo.
Quando o fruto da fixação amadurece,
Nascidos como pretas (fantasmas famintos) atormentados pelo anseio –
Como são tristes sua fome e sede.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possam os seres desejosos
Não rejeitar o anseio do desejo
Nem aceitar a fixação do apego.
Pela cognição relaxada, assim como ela é,
Possa sua percepção assentar-se.
Possam eles atingir a sabedoria da discriminação.

Por meio da emergência de uma sutil cognição receosa
De objetos que aparecem externamente
Cresce o hábito da aversão.
Nascem a animosidade grosseira, violência física e matança.
Quando o fruto da aversão amadurece,
Quanto sofrimento há no inferno, fervendo e ardendo.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Quando a forte aversão surgir
Em todos os seres dos seis estados,
Possa ela ser relaxada sem rejeição ou aceitação.
Com a percepção assentando-se,
Possam os seres atingir a sabedoria da clareza.

Com a mente tornando-se inflada,
Nasce uma atitude de superioridade em relação aos outros,
De orgulho feroz.
Experiencia-se o sofrimento da disputa.
Quando o fruto dessa ação amadurece,
O ser nasce como um deus e experiencia morte e queda.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possam todos os seres com mentes infladas
Relaxar na cognição como ela é.
Com a percepção assentando-se,
Possam eles realizar a igualdade.

Pelo desenvolvimento do hábito do dualismo,
Da agonia de louvar a si mesmo e denegrir os outros,
Desenvolve-se a competitividade briguenta.
Nascido como um asura (deus invejoso), morto e mutilado,
O ser cai no inferno como resultado.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possam aqueles que brigam por causa da competitividade
Relaxar sua animosidade.
Com a percepção assentando-se,
Possam eles atingir a sabedoria da atividade desimpedida.

Por meio da distração da apatia desatenta,
Por meio de torpor, obscuridade, esquecimento,
Inconsciência, preguiça e atordoamento,
O ser vagueia como um animal desprotegido, é esse o resultado.
Por meio da aspiração feita por mim, o buda,
Possa a luz da atenção mental lúcida surgir
Na obscuridade do atordoamento entorpecido.
Possa a sabedoria não-conceitual ser atingida.

Todos os seres dos três reinos
São iguais a mim, o buda, na base de tudo.
Ela tornou-se a base da confusão desatenta.
Agora, eles envolvem-se em ações sem sentido.
As seis ações são como o atordoamento de sonhos.
Eu sou o primeiro buda.
Eu domo os seis tipos de seres por meio de emanações.

Por meio da aspiração de Samantabhadra,
Possam todos seres sem exceção
Ficar despertos no dharmadhatu.

A Ho
Daqui em diante, quando quer que um yogue poderoso,
Com percepção lúcida e sem atordoamento,
Fizer essa poderosa aspiração,
Todos os seres que a ouvirem
Estarão plenamente despertos dentro de três vidas.

Quando o sol ou a lua são agarrados por Rahu
Quando há clamor ou terremotos,
Nos solstícios ou na mudança de ano,
Se ele gerar a si mesmo como Samantabhadra
E recitar isso para que todos ouçam,
Todos os seres dos três reinos
Serão gradualmente libertos do sofrimento
E finalmente atingirão o estado de buda
Por meio da aspiração desse yogue.


Do Tantra da Grande Perfeição que Mostra a Sabedoria Penetrante de Samantabhadra, Capítulo 9, que apresenta a poderosa aspiração que torna impossível que todos os seres não atinjam o estado de buda.
Tradução a partir da versão em inglês. Possa ser de benefício!