segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Ema! Ema! Ema! Cada um com seu problema!

Quem dera que assim fosse.
Mas o fato é que nossos problemas sempre respingam nos outros - isso quando não jogamos the whole pack pra cima de alguém, na maior, com o foda-se no volume máximo.
Pior ainda é o hábito de achar que são os outros que nos causam problemas, e não nós mesmos. Sempre se tem um vilão pra tudo, um bode expiatório. Às vezes até admitimos que pisamos na bola, mas isso porque fulano fez tal coisa antes, ou porque aconteceu algo que nos levou a meter os pés pelas mãos. Estamos sempre tirando o nosso da reta, tirando o corpo fora. Nunca somos responsáveis pelas nossas mancadas.
Affff, quanta ignorância e cegueira!
A coisa toda fica mais simples quando se percebe o elementar: não importa o que acontece "do lado de fora", a única coisa que interessa é como reagimos. Não podemos mudar nada a não ser nós mesmos e a maneira como agimos e reagimos.
No samsara é tudo uma questão de tempo, de prática e de disciplina. Assim, tenho tentado manter com disciplina a prática de encarar meus problemas como meus, sem repassar pra ninguém. Procuro aceitar as limitações alheias, e cuidar mais dos meus defeitos do que avaliar os dos outros. Tento ser tolerante com as falhas – minhas e dos outros. E não levar as coisas para o lado pessoal, numas de me sentir vítima de abusos. Vale ouro lembrar sempre que onde um não quer dois não fazem. Se tem alguém ou alguma coisa me chateando, é porque estou permitindo. Então eu que trate de mudar o meu posicionamento, em vez de querer que as mudanças aconteçam "fora".