sábado, 6 de fevereiro de 2010

Hard times

Hoje estou desconfortável dentro de minha pele. Falta alguma coisa. Falta espaço interno. Estou apertada em meio às carências, expectativas frustradas, falta de perspectivas, cansaço e um trabalho enorme do qual preciso dar conta. Aí bate o desânimo e a sensação de solidão.
Hora de parar, respirar, relaxar e olhar pra isso. Sensações fugazes, muito fáceis de dissipar.
No atacado, é só recordar que não passam de frutos do apego, do binômio desejo/aversão.
No varejo, posso reduzir o desconforto terminando o trabalho o quanto antes para reorganizar a rotina de modo mais saudável e prazeroso. Preciso retomar a prática budista, a prática esportiva e, acima de tudo, preciso reajustar o foco e decidir se quero mesmo manter a rota em que estou.
Marzinho agitado e enjoado esse de hoje.