quarta-feira, 12 de março de 2014

Não preciso mais disso

O karma amadurece. Felizmente nem tudo é karma negativo no samsara (sim, sim, a meta é cessar o surgimento de todo karma etc, etc, etc - mas isso não vai acontecer tão cedo; portanto vamos manter a perspectiva da natureza condicionada e de momento tentar gerar menos karma negativo, mais karma positivo e acumular méritos rumo à cessação do karma).
Ali pela virada do ano, minha terapeuta observou meus dedos - que eu sempre roí, desde muito cedo. Quando criança, roía as unhas. Roía mesmo, tipo até a metade do dedo. Depois passei a morder os dedos em si, a pele em torno da unha. Uma coisa muito séria, que muito abordei em terapia. Já há alguns anos, vi em terapia que eu não tinha mais o componente emocional que me levava a dilacerar os dedos, que restava apenas o hábito, a mania. E a mania permaneceu. Menos, mas ainda o suficiente para às vezes meus dedos ficarem totalmente feridos. E nunca estarem realmente inteiros.
Pois bem, numa sessão recente, Nahana disse para eu prestar mais atenção à mania de roer os dedos e que, quando fosse fazer isso, dissesse a mim mesma: "Eu não preciso mais disso". E ali o karma amadureceu.
Desde então o hábito vem sendo reduzido gradativa e constantemente. Estou há 13 dias sem fazer as unhas, e os dedos estão praticamente inteiros. Uma façanha para mim. Uma daquelas pequenas vitórias pessoais que geram grande contentamento. Nada como desapegar do que não serve, daquilo que não se precisa ou que nos causa mal.