segunda-feira, 6 de abril de 2009

Sonhos

Tem épocas em que sonho muito. Como agora.
Alguns sonhos são bem calcados em coisas do cotidiano, como o da última noite: sonhei que o salmão que eu tinha preparado estava incomível por causa da quantidade de limão, alho, sal e pimenta. Acordei no meio da madrugada pensando se deveria levantar e tirar uma parte do tempero em que o salmão do almoço de hoje estava imerso dentro da geladeira. Concluí que não ia adiantar muito àquela altura e deixei como estava. Ainda bem que não vi o sonho como premonitório: acertei em cheio no tempero dessa vez. E eu, Lena, Soares, minha mãe e Leni nos esbaldamos à mesa.
Na noite anterior, tive um sonho doidíssimo, ambientado na casa de Tramandaí. Creio que essa casa é o local mais recorrente das minhas paisagens oníricas. É muito comum eu sonhar que estou lá, nas mais variadas situações. Dessa vez minha mente abalou no enredo.
A começar pelo co-protagonista. Já sonhei no mínimo duas vezes com essa pessoa antes (creio que foram três na verdade). É alguém que conheço praticamente só de vista, mas nos sonhos temos sempre uma grande proximidade. Sempre acordo intrigada com essa opção de minha mente. Quase tanto quanto com a reincidência da casa de Tramandaí.
Vamos ver qual será a atração desta noite.
:)