segunda-feira, 3 de março de 2008

Querideza

Na era degenerada da falcatrua geral, em que nada parece ter o menor valor – especialmente acordos e promessas –, é uma completa alegria encontrar uma pessoa de palavra.
Hoje tive a confirmação de que a confiança que deposito em alguém muitíssimo querido ao meu coração é bem fundamentada.
Fizemos um acordo, coisa bem simples, mas que dependia inteiramente dele.
E hoje meu querido amigo honrou o nosso compromisso, e nosso peculiar vínculo kármico, que pulveriza nossas várias distâncias.
E mais uma vez essa pessoa gentil e sincera me fez muito feliz, como tem feito desde que nos conhecemos, no início do tórrido e animado verão 2008.