sábado, 1 de março de 2008

Síndrome de abstinência

Difícil abandonar um hábito, um vício.
Há uma total clareza de que não é benéfico, de que causa todo tipo de emoção e pensamento perturbadores. Mesmo assim... a mente mantém-se apegada.
The clinging.
And the craving.
Está tudo numa boa até vir a onda de abstinência. Aí a mente agita-se em turbilhão. A vontade de ir atrás, de obter qualquer mínima dose. Muito simplesmente, o desejo de se intoxicar, de emaranhar-se nos véus de maya.
Para isso os antídotos têm sido a disciplina e a paciência, o esforço constante. O exercício de autocontrole, de foco. Não ceder ao impulso kármico, resistir à força do hábito.
Detox radical. Rehab linha dura. Nada de substituir uma droga por outra.