quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Ah, minha Portela...

Filha de Oxum e querida de Iansã, no carnaval fico sob o manto azul e branco de Yemanjá e sob a águia que me remete à pomba de Oxalá.
Sou Portela desde sempre. Assim como sou Grêmio. Tudo azul. Acho que herdei o amor pelo azul de minha mãe. Que é Portela e Grêmio, lógico. :)
Minha linda e amada Portela ficou em terceiro lugar no carnaval 2009. Enquanto acompanhava a apuração, fui ouvir dois de meus sambas preferidos, que homenageiam esse amor antigo, incondicional e definitivo. Amor que não se explica. Amor apaixonado. Paixão que resiste ao tempo. Cada vez que vejo a Portela entrar na avenida, sinto a mesma coisa: o arrepio, a vertigem. Essa sim é uma pegada fortíssima.





Estava muito afim de ouvir samba depois de ter meus ouvidos assaltados por axé no carnaval de rua da Armação. Fiquei tão carente de samba para me recuperar daquele repertório de lixo que pedi a meu tio pra gravar um DVD com tudo de samba que ele tiver. Vou poder ouvir samba até cansar. Meu tio é doido por música. E foi nos verões desde minha infância em Tramandaí que conheci Paulinho da Viola, Clara Nunes, a velha guarda da Portela, Ivone Lara, Beth Carvalho e muitas outras coisas, ouvindo as fitas que meu tio levava.