segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Clima perfeito

Não teve um dia de sol a pleno em minha viagem de férias até agora. Houve alguns momentos de sol, mas na maior parte o tempo tem estado nublado, às vezes rola uma chuvinha. Para mim, é o tempo ideal.
Não aguento mais aqueles solaços de torrar. Isso que minha pele é boa, resiste maravilhosamente ao sol, bronzeia bem, tanto que já estou morena mesmo sem dias resplandecentes. Acontece que acho o sol cada vez mais abrasador.
Hoje o dia esteve bem encoberto, mas fomos à praia assim mesmo. Deu uma chuvinha rápida, que nos refrescou um tanto demais e nos forçou a usar o guarda-sol como guarda-chuva. Passado o chuvisco, deitei de buzanfa pra cima e fiquei lá meio que cochilando, uma maravilha aquela moleza. Eis que o céu abriu bem, e quando isso aconteceu o meu confortável torpor foi abalado pela sensação de estar cozinhando naquele sol ardido, os raios solares pareciam crivar o corpo como agulhas, penetrando não só a pele, mas os tecidos e órgãos internos. Uma nítida sensação de estar não queimando, mas esturricando. Felizmente durou pouco, logo as nuvens voltaram, deixando apenas um mormaço médio. E pude continuar lagarteando feliz.
Já faz uns anos que percebi que prefiro dias com um pouco de nebulosidade quando estou na praia. Eu amo o verão e as altas temperaturas, não me incomodo com umidade elevada. Mas dias de sol calcinante não me agradam, simplesmente porque não aguento. Pior: de início não aguento, mas em um dia me acostumo, e aí sou capaz de passar horas na praia todos os dias, porque estar à beira-mar é um de meus maiores prazeres. Mas melhor fazer isso sem torrar.
Adoooooro me esborrachar ao sol na praia, é o único lugar onde fico sentada/deitada "tomando banho de sol". Não gosto do banho de sol em si, gosto é de estar ali na areia, sentindo o sol (de preferência não na potência máxima) e curtindo o mar. Eu gosto é do conjunto da obra: a claridade, o calor, a areia, a água, o som da água... Gosto tanto disso que posso ficar lá parada, sem fazer nada, só curtindo. Ou então caminhar por horas e horas e horas...

Uma coisa que me chateia é as pessoas acharem que eu fico bronzeada tomando banho de sol no terraço do meu apê. Francamente, ficar deitada na lage... me poupe, hein! Primeiro, não tenho tempo pra isso. Segundo, não tenho paciência nem vontade - nem vocação pra bife fritando na chapa quente. Me parece algo completamente idiota, embora às vezes fosse ser bom pra eu emparelhar o bronzeado. Porque eu fico preta por correr na rua, geralmente do meio da manhã para perto do meio-dia. Com isso, meu bronzeado é maculado por marcas dos tops, meias e calções. Antes de vir pra praia as marcas estavam ridículas, especialmente nos pés e quadris. Mas azar, que sol na lage não estou querendo.