sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Insane in the brain

They say, "Seeing is believing"
But the true question is,
"What do you believe you've seen?"

Everybody I know seems to know me well
- but does anybody know I'm gonna move like hell


Certos acontecimentos, certas pessoas, certas músicas despertam uma parte de mim que prefiro manter quieta. É a natureza que manifestei - timidamente, na minha avaliação - em noites de Ocidente, Wanda, Enigma... E mais timidamente ainda com meus parceiros. Nunca encontrei ninguém com quem eu pudesse chegar ao meu limite. Por isso, não sei qual seria meu limite. Acho que não quero saber. Creio que foi uma bênção não ter encontrado ninguém que me deixasse plenamente à vontade e livre.
Jamais realizei sequer 10% das ideias que me ocorrem. Nem mesmo escrevi sobre elas.
A chapa é quente e o bagulho é doido. E minha mente me leva a pontos que me parecem extremos.
Será que todo mundo tem disso?
Será que é isso que algumas pessoas vêem em mim e as leva a pensar que estou na pista pra negócio?
Afffff, vou dormir.