domingo, 5 de janeiro de 2014

Vida mansa

Não sei há quanto tempo não sentava em um banco da Redenção. Eu só venho aqui pra correr. Hoje de manhã, inclusive, rodamos boa parte de 8km aqui.
E eis que nesse final de domingo, final de duas semanas atípicas - a fase mais atípica do ano, em que sempre me estresso e canso muito - acabei sentada num banco da Redenção. De frente para a Santa Teresinha, rua e igreja. Pertinho de um dos meus flamboyants mais amados. Jovenzinho, miúdo,  agora já no final da floração,  que nessa temporada foi modesta.
Fiquei aqui basicamente na Internet. Numa paz imensa, observando a copa das árvores,  a muvuca, alguns corredores.
Com a pulseira que ganhei um pouco antes de sentar aqui.





Depois da Redenção, café no Press.
Com minha pulseira nova.