domingo, 16 de julho de 2017

Magia na cozinha

Wok é vida, wok é tudo. Melhor artefato para cozinhar. Não dá pra chamar de panela, é outra coisa. Tipo uma caçarola de alta tecnologia japonesa.
Com minha wok, presente do meu tio, redefini ontem à noite minha apreciação por repolho cozido. Sempre odiei, porque quando criança faziam uma coisa horrorosa com o repolho, acho que até açúcar colocavam. Eu abominava - a começar pelo cheiro.
Mas comprei um repolho há três semanas na feira. Ontem resolvi que ia fazer algo com ele - até porque era a única coisa que tinha em casa.
Wok. Óleo de girassol. Repolho. Shoyu. Tofu. Para completar, o arroz integral cozido que já estava virando relíquia dentro da geladeira.
Voilà!
Arroz frito vegano. Ficou tão, mas tão bom que não sobrou nada.
Achei que fosse acordar inchada hoje, como sempre acontece quando como em restaurante chinês, por causa da quantidade de óleo, shoyu e sal. Nada disso. Zero inchaço. E fiz arroz frito mesmo. Não é frito de verdade, lógico, mas é frito no sentido da quantidade de óleo que usei. E shoyu foi de monte também. Só não adiciono sal.
#govegan