sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

On the edge

Beaches and deserts where you take me
From low to high
From wet to dry
Beaches and deserts where you break me
From safe to sound
From lost to found
And I love these extremes of you
Don’t wake up without dreams of you
Here on the edge of you
Is where I will live

Beaches and deserts where you leave me
Beaches and deserts where you grieve me
From good to bad
From happy to sad
And I love these extremes of you
Don’t wake up without dreams of you
Here on the edge of you
Is where I will live
Here on the edge of you
Is where I will live forever

Na casa dele ontem à tarde, ouvindo um CD com músicas que gravei pensando em nós, lembrei dessa, "Beaches and Deserts", de A Guy Called Gerald, que não está incluída na coletânea, mas que também foi ressignificada. Como tudo em minha vida foi ressignificado em função desse homem que me leva aos extremos de mim mesma.
Voltando às músicas: gravei o tal CD com apenas duas faixas que associo diretamente a ele, a primeira é "Thank You", do Led Zeppelin (que foi um dos assuntos que possibilitou a conexão inicial), e a última é "Chamo", do Projeto Itagiba de meu protetor dhármico Claudio Monster Christello, que é o toque dele no meu celular, que já pensei em mudar mas não consigo porque é a perfeição. Entre o começo e o fim, outras 11 faixas que já ouvi pensando em outras pessoas e fenômenos, mas que, depois de ouvir pensando nele, pensando em ouvir com ele, associaram-se indissociavelmente a nós.
About the lyrics above: there´s no grieve anymore because he took me from bad to good, from sad to happy. And from dry to wet. All the way up to the melting point.

Amo muito. Hoje mais que ontem e menos que amanhã.