terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Tinha que ser

Filha de Oxum.
Pega o perfume e dá uma borrifadinha num lado do pescoço. No outro. Na nuca. E de novo no pescoço, na nuca, nos braços, nas costas, nas costelas. Uma dúzia de borrifadinhas. E vai perfume.
Quando me perfumo, muitas vezes lembro das Oxuns na terra nas festas de nação, quando dão frascos de perfume para elas. Seguem dançando e borrifando a si mesmas e aos participantes. A primeira vez que vi isso fiquei encantada. Depois sempre esperava esse momento da festa.
Lembro dele e da Senhora Minha Mãe quando me perfumo. E gosto de me sentir um pouco Oxum.