sexta-feira, 22 de abril de 2016

The beautiful one


21/04/2016
Um dos dias mais tristes de minha vida. Uma das piores notícias que já recebi. Menos mal que fiquei sabendo por minha preciosa filha, que me ligou e disse: "Mâmi, aconteceu uma coisa muito ruim".
É daqueles acontecimentos que lembrarei pra sempre de onde estava no momento em que soube.
O pior de tudo foi a surpresa. Prince estava incrivelmente inteiro, aparentava muito menos idade. Eu tinha certeza de que ele viveria muitos e muitos anos.
A tristeza e o vazio são iguais ao que sentiria com a morte de um amigo chegado. Como disse Marcelo, um amigo imaginário real.
Prince é meu artista favorito. A importância dele em minha vida só é comparável à de Robert Plant.
Lembro da primeira vez que vi e ouvi Prince. Foi no Fantástico, que exibiu o clipe de "When Doves Cry". Não gostei - e nem lembro por quê. Creio que achei brega, porque eu ainda era mais ligada em rock. Me livrei da impressão totalmente errônea graças ao meu professor de aeróbica Beto Teixeira, que tocava muito Prince nas aulas.
A paixão e o amor por Prince e pela atividade física surgiram mais ou menos juntos e seguiram juntos. Nas dezenas de anos em que que corri ouvindo música, Prince sempre esteve no setlist. (Esse hábito só deixou de existir no ano passado, pois meu iPod estragou, e comecei a recitar um mantra enquanto corro, usando a corrida como uma meditação ativa e um momento para acumular mérito em benefício de outros.)
Minha vida mudou pela primeira vez numa sala de cinema, quando assisti The Song Remains the Same e descobri que um homem podia ter a aparência e a voz de Robert Plant e que havia uma música feroz, selvagem e apaixonada como a do Led Zeppelin.
E foi numa sala de cinema que minha vida mudou de novo anos depois, quando assisti Purple Rain e concluí o que permanece até hoje: Prince é o artista mais fascinante que conheci. Um dos músicos mais talentosos da humanidade.
Prince me fascinou igualmente como pessoa. Híbrido. Múltiplo e muito além do convencional. Para mim, o homem mais bonito e mais sexy. Meu padrão de beleza e minhas preferências nunca mais foram as mesmas depois de Prince com seus saltos altos, delineador, penteados e figurinos provocantes mesmo quando coberto da cabeça aos pés.

The beautiful one.
The one and only.
The continental, the main thing.
Dearly beloved.

Que alegria e bênção ser contemporânea de Prince. Que incrível privilégio tê-lo assistido ao vivo, ainda que apenas uma vez. Que felicidade ter consciência de seu talento. Que prazer poder ouvir seu legado.