domingo, 8 de março de 2009

Ela que guia

Você me diz algumas das coisas mais interessantes que alguém já me disse nessa vida. E você ou desperta a dakini em mim, ou então a mais absoluta irresponsabilidade. Porque me sinto totalmente confortável com o fato de você me admirar - embora eu nem veja o que haveria de admirável em mim em termos budistas. Quer dizer, além do fato de todos os seres terem a natureza de buda etc. Mas me vejo em um estágio muito elementar, ou seja, não creio que eu pudesse ser sua dakini. Mas isso é o que eu penso. O que eu sinto é: "Oh, sim, sim, ótimo, perfeito. Tudo muito bem."
Hahaha, também pensei que eu possa estar indo para o precipício e, se você me seguir, despencar comigo. Mas apenas pensei. Não sinto isso. Sinto uma total confiança em mim mesma e nos meus caminhos, no sentido de que não há nada para me preocupar. Nem que caia no precipício. Estará tudo muito bem.
Está sempre tudo muito bem. E fica melhor com você por perto. Ainda mais num dia como hoje, em que estou na praia com minha mãe, me sentindo muito entediada e tolhida na minha liberdade de fazer o que quiser.
Um dia espero que me escreva o que exatamente ligou você a mim. Em detalhes. O que você viu.