sábado, 6 de abril de 2013

Barreira transposta

26km. 1:07:04. Média de 4:55.
Corrida boa. Senti sinais de cansaço a partir dos 16km, mas nada muito intenso. Terminei muito bem.
Contudo, antes de largar estava com muito medo. Em casa cheguei a sentir dor de barriga do nervosismo. Que coisa ridícula...
Comentei sobre isso com o treinador quando cheguei pro treino. Átila sorriu: "Relaxa, você está muito bem". Não relaxei nada, hahaha!
Mas fui auxiliada pela companhia do meu colega de equipe Felipe Garcez, o Aranha, por 21km. Isso foi uma maravilha. Saímos juntos, conversando direto, e eu não fiquei nas elucubrações. Aranha está treinando para sua primeira maratona, e creio que esse foi o primeiro e último longão que fizemos juntos, porque ele é muito mais rápido que eu. Hoje ele estava sobrando - nos últimos 5km abriu, e fez na média de 4:20. Uau, que beleza! Eu acho que ele fará uma estreia magnífica, estou torcendo. Ele e a namorada, a Paula Stein, são meus companheiros de treino no Cete às terças e quintas, e são pessoas de quem eu gosto, com quem sempre bato um papo (isso quando não fico de língua de fora, hehehe).
Bem, quanto à minha maratona: nessa média de hoje, não farei um tempo que me agrade. Falei pro Átila que não acho que consiga correr mais rápido que isso; ele rebateu: "Mas claro que vai conseguir. Está treinando como nunca treinou, e está fazendo um treino forte depois do outro e se recuperando bem". É verdade. Eu nunca havia treinado com essa consistência.
Para mim, chegou a hora de condicionar a cabeça além do corpo. O treino de hoje foi um passo importante no condicionamento mental. Outra coisa fundamental é trotar nos dias de trote. Como amanhã. 10km a 5:30, de preferência mais para 6:00 e na grama. Afff, acho um saco. Mas tenho que me controlar pra melhorar a recuperação muscular e evitar o cansaço extremo da semana retrasada, quando cometi todo tipo de loucuras. Porque, quando fico cansada demais por causa das minhas mancadas (além da vida extratreino) e o rendimento cai, o medo aumenta.