quinta-feira, 2 de maio de 2013

Um ano hoje, agora

Há exatamente um ano, eu já estava no bloco cirúrgico.
Lembrei disso no Cete pela manhã, enquanto ralava em nove tiros de 1.000m. É incrível. Maravilhoso.
Sou uma guerreira vitoriosa. Sem dúvida. Uma pessoa muito afortunada.
Gostaria de poder passar o dia comemorando, mas tenho muito trabalho por fazer. Comemorei mesmo no domingo. E ontem brindei com uma taça de vinho no almoço. Hoje festejei no Cete.


Esse dia especial também teve um momento muito feliz na visita à minha mãe ao meio-dia. Ela estava tão bem hoje... Minha mãe nunca soube da cirurgia, não contamos nada pra evitar agitação. Como ela já não lembrava de nada, não estranhou meu sumiço por uns dias. Vendo-a tão bem como ela está agora, vem uma certa dúvida: será que não dava pra ter mantido em casa? Não, não dava. Pensar nisso é apenas criar motivo para culpa infundada.
Ontem fui vê-la no final de tarde. Caminhamos até a confeitaria, ela comeu dois docinhos e tomamos um café. Ah, que alívio isso.