domingo, 6 de janeiro de 2008

Conexão virtual

Tão longe, tão perto. Tão improvável, tão plausível. Tão distante e tão etéreo, e ao mesmo tempo tão penetrante, tão dentro, tão envolvente. Tão presente.
Três mil quilômetros e 24 anos pulverizados no universo virtual.
Internet. Msn. Orkut. E-mail.
Telefone celular. Mensagens de texto e multimídia.
Comunicação instantânea em um mundo atemporal.
A experiência de contato e intimidade no universo virtual reafirma a ausência de solidez da realidade convencional. Tudo vacuidade e luminosidade. Tudo uma simples criação da mente.
Na realidade convenciomal, a mente não aceitaria as distâncias, rechaçaria o contato, iria dar um fora e dar o fora. No mundo virtual, a mente mostra-se aberta e receptiva, curiosa, menos julgadora. E as coisas acontecem.
Minha mente une-se a outra, e ambas criam uma paisagem e abrem espaço para uma experiência inusitada de proximidade e troca. E eu me encanto e me dissolvo nesse sonho de duas mentes luminosas.
É uma tremenda diversão. Passatempo samsárico.