quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Pé de chinelo

Sou uma mulher chinela. No doubt about it.
A bonita se puxou no salto alto ontem de tarde para uma sessão de shopping com a amiga. Grande compra de calcinhas, de todos os tipos, tamanhos e cores. Para todas as ocasiões.
Não é que a sandália detonou meu pé direito? Voltamos à casa da amiga, e troquei a sandália por um chinelo, para dar seguimento às compras. Mas já era. O pé fodeu master. Estou manca desde ontem de noite.
Claro que hoje fui meter peso e correr. Que nem farrista, enquanto estou mandando ver não sinto dor nenhuma, nunca. Vou pro treino toda ferrada, mas depois do aquecimento já é. Então, quando chego em casa... o barraco desaba.
A sandália maligna causou uma bolha gigante, de sangue, na sola do meu pé. Agora estou de meia e com um chinelo de inverno nesse calor boçal, tentando manter a bolha em um ambiente fofo. Uma outra bolha comum, acoplada a essa, já estourou. Uma beleza.
Enquanto isso, uma unha do pé esquerdo prepara-se para cair. Isso que uso tênis um ou dois números maiores. Afff.
Às vezes até minhas adoradas Havaianas, objeto de consumo favorito, esfolam a pele entre meus dedos. E sapatos são um perigo. Só posso usar quando não vou caminhar muito. Se é alto, corro risco de desabamento. Se é baixo, de solado fino, a sola do meu pé fica acabada.
Sexta vou na podóloga, e ela vai querer dar na minha cara.
Podólatras, tremei!

Mas uma coisa é certa: mesmo metendo o pé na jaca, garanto a pose em cima das tamancas. O barraco é chique.