domingo, 20 de janeiro de 2008

Sutra do Coração

A Mãe Abençoada, o Coração da Perfeição da Sabedoria
EM SÂNSCRITO: Bhagavati Prajna Paramita Hridaya

FOI ASSIM QUE CERTA VEZ EU OUVI:

O Abençoado estava em Rajagriha, no Pico do Abutre, junto com uma grande comunidade de monges e uma grande comunidade de bodhisattvas, e, naquela ocasião, o Abençoado entrou na absorção meditativa sobre as variedades de fenômenos chamada de aparência do profundo. Naquele momento também, o nobre Avalokiteshvara, o bodhisattva, o grande ser, contemplou claramente a prática da profunda perfeição da sabedoria e viu que até mesmo os cinco agregados são vazios de existência intrínseca.
Então, por meio da inspiração do Buda, o venerável Shariputra falou ao nobre Avalokiteshvara, o bodhisattva, o grande ser, e disse: “Como deve treinar qualquer nobre filho ou nobre filha que deseje empenhar-se na profunda perfeição da sabedoria?”
Quando isso foi dito, o sagrado Avalokiteshvara, o bodhisattva, o grande ser, falou ao venerável Shariputra, e disse: “Shariputra, qualquer nobre filho ou nobre filha que deseje empenhar-se na prática da profunda perfeição da sabedoria deve ver claramente dessa maneira: deve ver perfeitamente que até os cinco agregados são vazios de existência intrínseca. Forma é vacuidade, vacuidade é forma; vacuidade não é outra coisa senão forma; forma também não é outra coisa senão vacuidade. Da mesma maneira, sensações, percepções, formações mentais e consciência são todas vazias. Portanto, Shariputra, todos os fenômenos são vacuidade; não têm características definidas; não nascem, não cessam; não são puros, não são impuros; não são deficientes, e não são completos.
“Portanto, Shariputra, na vacuidade não existe forma, sensações, percepções, formações mentais e consciência. Não existe olho, ouvido, nariz, língua, corpo e mente. Não existe forma, som, odor, sabor, textura e objetos mentais. Não existe elemento da visão, e assim por diante até o elemento da mente, inclusive o elemento da consciência mental. Não existe ignorância, não existe extinção da ignorância, e assim por diante até o envelhecimento e a morte e a extinção do nascimento e da morte. Do mesmo modo, não existe sofrimento, origem, cessação ou caminho; não existe sabedoria, obtenção, nem mesmo não-obtenção.
“Portanto, Shariputra, visto que os bodhisattvas não têm nada a obter, eles confiam nessa perfeição da sabedoria, e nela permanecem. Não tendo obscurecimento em suas mentes, eles não têm medo e, por irem completamente além do erro, alcançarão o final do nirvana. Todos os budas dos três tempos também obtiveram o pleno despertar da iluminação insuperável e perfeita ao confiar nessa profunda perfeição da sabedoria.
“Portanto, deve-se saber que o mantra da perfeição da sabedoria – o mantra do grande conhecimento, o mantra insuperável, o mantra igual ao inigualável, o mantra que subjuga todo o sofrimento – é verdadeiro porque não é enganoso. O mantra da perfeição da sabedoria é proclamado:

tadyatha gate gate paragate parasamgate bodhi svaha!

Shariputra, os bodhisattvas, os grandes seres, devem treinar na perfeição da sabedoria dessa forma.”
A seguir, o Abençoado saiu daquela absorção meditativa e elogiou o sagrado Avalokiteshvara, o bodhisattva, o grande ser, dizendo que isso é excelente. “Excelente! Excelente! Oh nobre filho, é exatamente isso; é exatamente assim que deve ser. Deve-se praticar a profunda perfeição da sabedoria exatamente como você revelou. Pois então até os tathagatas se regojizarão.”
Quando o Abençoado proferiu essas palavras, o venerável Shariputra, o sagrado Avalokiteshvara, o bodhisattva, o grande ser, junto com toda a assembléia, incluindo os mundos dos deuses, humanos, asuras e gandharvas, todos se regojizaram e saudaram o que o Abençoado havia dito.

5 comentários:

  1. Aunque soy un ignorante ahora voy a hacer de editor, con tu permiso. A mí me gusta mucho más el fragmento que sigue con la repitición de la partícula negativa. Debe ser por la fuerza de la costumbre.

    ...
    “Portanto, Shariputra, na vacuidade não existe forma, (ni o nem) sensações, (ni) percepções, (ni) formações mentais (ni) consciência. Não existe olho, (ni) ouvido, (ni) nariz, (ni) língua, (ni) corpo (ni) mente. Não existe forma, (ni) som, (ni) odor, (ni) sabor, (ni) textura (ni) objetos mentais. Não existe elemento da visão, e assim por diante até o elemento da mente, inclusive o elemento da consciência mental. Não existe ignorância, não existe extinção da ignorância, e assim por diante até o envelhecimento e a morte e a extinção do nascimento e da morte. Do mesmo modo, não existe sofrimento, (ni) origem, (ni) cessação (ni) caminho; não existe sabedoria, (ni) obtenção, nem mesmo não-obtenção.


    Me parece que con la partícula negativa la recitación tiene más ritmo, y remarca más la no existencia de todas estas cosas. En la versión en inglés que tengo yo, también es así: 'no eye, no ear, no nose..., no..., no..., no...' Pero es claro que no sé si es posible en portugués o si tiene el mismo efecto.

    Después voy a leer tu nueva entrada, a ver si puedo criticar algo más (!?).

    ResponderExcluir
  2. Sabe que você tem razão? Pensei que eu houvesse seguido o original em inglês, mas pior que não... Eu não repeti as negações por questão de estilo, mas talvez tivesse sido melhor fazê-lo, até porque em sânscrito também é assim. Afffff.
    Pode criticar tudo que quiser. É ótimo! Aí vou me aprimorando. :)

    ResponderExcluir
  3. I found this site using [url=http://google.com]google.com[/url] And i want to thank you for your work. You have done really very good site. Great work, great site! Thank you!

    Sorry for offtopic

    ResponderExcluir
  4. Well, I just have to thank you for your lovely words. They made me immensely happy.

    ResponderExcluir