terça-feira, 24 de maio de 2011

Gentalha, gentalha, gentalha

A má educação de alguns motoristas de Porto Alegre é cada vez maior. Na maratona, a turma dos sem-modos deu show nos cruzamentos interrompidos, buzinando histericamente. Na esquina da Vicente da Fontoura com Ipiranga, a gentalha estava fora de si.
Esse comportamento hostil à interrupção do trânsito em virtude da maratona mostra a pequenez dessa parcela de porto-alegrenses mal-educados, grosseiros e atrasados (que eu, no espírito Coca-Cola, acredito que seja minoria). Nova York, Chicago, Berlim, Londres e Paris - para citar apenas as sedes das top-maratonas - podem parar o trânsito para ver a maratona passar. O povo vai pras ruas - a pé - pra curtir a festa, aplaude e grita palavras de incentivo pros corredores.
O mais triste é que Porto Alegre tem tudo para fazer uma maratona atraente e charmosa: clima bom, percurso plano e trajeto bonito. Argentinos e uruguaios já estão descobrindo isso e vindo pra cá em número crescente. O pessoal do Nordeste do país também.
Eu espero ainda estar correndo quando a Maratona Internacional de Porto Alegre tornar-se realmente internacional e um evento exclusivamente de maratona, sem provas paralelas.