terça-feira, 30 de agosto de 2016

Reminiscências e perguntas


Por que a mente se apega a certas miudezas?
"Bom dia, minha Tigrinha!"
O emoji de botão de rosa.
Essas memórias vêm de repente, enquanto o tempo passa, a vida segue, o passado é passado.
Também de repente vêm as perguntas inconvenientes. O que estará fazendo agora? Tomando banho, como eu? Como será que anda? Está bem? Saindo com outras pessoas? Já conheceu alguém? Ainda pensa muito em mim? Será que está apreciando os ipês em flor?
Em alguns momentos os flashbacks e especialmente as perguntas são extremamente perturbadores e desagradáveis. Causam confusão, dor, a tentativa de rejeitar. Que porra é essa? Não quero pensar nisso, não quero saber disso, estou noutra, isso aí já era. Em outros momentos provocam nostalgia, uma melancolia suave e adocicada.
Uma e outra sensação são apenas isso: sensações. A mente saltitando entre passado, presente, futuro, especulando, apegando-se aqui e ali, tentando rejeitar o que não gosta e se agarrar ao que lhe agrada.
Mesmo quando as recordações e as conjeturas causam desconforto, não existe mágoa, nem rancor. O que abre espaço para preservar o afeto, o bem querer. Bem bom isso assim.