domingo, 23 de abril de 2017

Corrida musical

12km maneiros.
Estreias. Camiseta do Bowie. iPod do OLX, cansei de vez do MP3 player chinelão na quinta-feira. Na sexta foquei na missão de achar um melhor. Os genéricos baratinhos só são vendidos pela internet; vi um deles numa loja por R$ 100 - sem cartão SD, igual ao meu. No fucking way. Aí fui procurar iPod usado.
Agora sim! Já tinha esquecido o quanto o som do iPod é bom. E o quanto é bom correr com música (porque o MP3 bagaceiro só deu treta em todas as vezes que tentei usar).
Spotify para baixar coisas novas. De momento, Nicki Minaj.
A corrida foi suave. Recuperada da ressaca monstra de ontem. Definitivamente não dá mais pra beber cerveja. A comprovação foi da pior forma possível. As (várias) cervejas de sexta tiveram o efeito de uma garrafa de gim. Fiquei imprestável. Dor de cabeça e estômago revirado. Bebi bastante, é verdade, mas não mais do que estava acostumada a beber.
Queria ter ido encontrar meu novo treinador no sábado de manhã, não deu. Começamos amanhã.
Essa foi a outra bela novidade do feriadão.
Na quinta-feira, meu ex-treinador avisou que havia desistido temporariamente de montar um grupo de corrida. Nunca esperei uma coisa dessas. Um mês e era isso.
Menos mal que na sexta-feira já encontrei outro, indicação de minha amiga Fran. Um querido, disseram ela e as duas outras amigas corredoras com quem conversei. Concordei com elas após conversar com ele. O sistema de trabalho é o que eu busco, e o grupo também parece bem bacana. O melhor de tudo é que treinarei nos dias e locais da minha preferência. Melhor impossível.
O grande lance da corrida musical dominical foi que terminei inteira e sobrando. Poderia rodar mais alguns quilômetros (não sei quantos, mas imagino que não muitos). Resolvi não exagerar, 12km é uma distância enorme pra mim atualmente. E ainda não estou zerada da intoxicação com cerveja. Vou experimentar vinho...