segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Ignorância e intolerância

Filha e mãe? Irmãs gêmeas?
Não saber. Não entender.
Não aceitar. Não respeitar.
A pessoa aqui tenta não ser intolerante. Mas é impossível aceitar e respeitar o ponto de vista de gente que pretende censurar manifestações artísticas por se sentir ofendida nas suas crenças religiosas e morais. Que direito essa gente acha que tem de impor seus princípios, sua moral, seu deus e sua religião? Na arte e na sociedade em geral.
À ignorância e à intolerância junta-se a burrice, outra irmã ou talvez prima.
Porque olhar para essas obras e ver apologia à pedofilia e à zoofilia só sendo muito BURRO. Opa, burro e burrice são palavras para as quais preciso encontrar substitutas mais adequadas. São uma ofensa aos pobres animais.
Amanhã lá na frente do Santander Cultural pra protestar contra o avanço do obscurantismo, do conservadorismo. Da burrice, na falta de termo melhor por enquanto.
Horrorizada com o avanço dessa horda de "gente de bem".

"Cruzando Jesus Cristo Deusa Schiva", 1996, Fernando Baril

"Travesti da lambada e deusa das águas", 2013, Bia Leite

"Cena de interior II", 1994, Adriana Varejão