sábado, 9 de setembro de 2017

Meditação quântica

Quando o trabalho é mais que um prazer. É também aprendizado. Bem, sempre é aprendizado. Eu sempre aprendo muito com cada tradução, cada edição.
Mas um livro está sendo instrumental para minha vida e minha prática meditativa. Breaking the Habit of Being Yourself, a ser lançado como Quebrando o hábito de ser você mesmo, de Joe Dispenza. Uma abordagem que muito me interessa - a criação da realidade pelo indivíduo. A possibilidade de criar a vida que se deseja, rompendo os hábitos que produzem uma vida que não se deseja ou a repetição de padrões que não contribuem para a saúde e a felicidade.
O livro é acompanhado de meditações guiadas, vendidas no site do autor. Baixei e estou ouvindo. Praticando. Fascinante.
Na sexta à tarde, saindo da manicure, em plena Padre Chagas, um vislumbre disparou uma série de emoções e sensações. E da observação destas veio insight sobre a emoção que quero eliminar, que se manifestou na primeira infância e se percolou por todas as minhas experiências.
Exercitei o protocolo de Joe Dispenza: detectei a emoção perturbadora que quero desmemorizar da minha mente e do meu corpo, identifiquei o estado mental associado a essa emoção, reconheci quem eu sou e o que eu escondia, entreguei tudo para a inteligência quântica reconfigurar o todo de forma benéfica para mim e manifestei gratidão.
Todo esse processo me remeteu ao Ho'oponopono, minha amada meditação, tão importante para mim que gravei na mente e no corpo, tornei parte da minha existência. No corpo, gravei inclusive literalmente. Uma linda tatuagem. Um sincero pedido de desculpas e de perdão. Uma sincera declaração de amor e de gratidão. Para mim. Para você. Para todos os seres e fenômenos de minhas incontáveis vidas.