segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Tá feia a coisa


Amanhã, duas prioridades: levar as camisetas da equipe pra customizar (deixar num estilo perigoso cavado) e comprar protetores pros dedos dos pés.
Meu treinador fez camisetas totalmente recatadas. Não é pra mim. Tesoura nelas!
Vou tentar amenizar o estrago e a dor nas unhas com ponteiras de silicone. Tô cagando pra feiura. Mas a dor tá foda. Ontem felizmente não senti muito. Mas não dá pra dizer que estava tranquilo, houve momentos em que senti meio manca - lembro de um momento específico na reta do espelho d'água da Redenção, perto do final do treino.
Hoje doeu bem mais. Foram 14km, destes 8km na pista, em 7x 1.000m x 200m. Depois da série lá fui eu sentar e tirar um pouco o tênis pra dar uma aliviada. Estou sentindo os dedos sensíveis até agora. Nem tenho coragem de mexer nessas unhas. Não sei o que dói mais. Acho que é o dedo do meio.
Já vi uns modelos nas farmácias, mostrei pro treinador, ele sugeriu um deles. Vamos ver se ajuda. Preciso conservar essas unhas até as novas estarem razoavelmente crescidas.
Hoje não foram só os dedos que doeram. As coxas estão doloridas do longão. Tá aquela  dureza pra descer escada. E eu aqui subo e desço direto. Ai, ai, ai.
Mesmo assim, tô linda, livre, leve e solta. O que me falta em velocidade, começa a me sobrar em prazer, alegria, força e determinação.