domingo, 10 de setembro de 2017

Ondinhas


No final da tarde de sábado, um lindo desenho colorido no céu.
Esse pedaço de céu entre os prédios que avisto do terraço muitas vezes proporciona visões belíssimas. Como ontem. Momento pra fazer uma pausa, sentar no deck e simplesmente apreciar.
É bastante frequente eu olhar o céu e lembrar da alegoria budista sobre a mente/base e os fenômenos. O firmamento amplo, ilimitado, todo-abrangente, acolhe as nuvens, sóis, planetas, galáxias, buracos negros, tudo, assim como a mente acolhe todos os pensamentos, mas não é esses pensamentos.
Olhar o céu é sempre uma viagem.