domingo, 29 de abril de 2012

Diário pré-cirurgia - 7. Contagem regressiva

Quanta coisa pra fazer e organizar.
A mochila já está pronta.
Espero que me deixem ficar de pijama.
Na real, não tenho a menor ideia do que me aguarda. Deve ser por isso que estou tão calma.
A filha voltou de Buenos Aires hoje. Disse que quer dormir no hospital comigo, mas não acho bom pra ela. Ainda mais que tem aula de manhã. Pretendo passar as noites sozinha. Dormindo, se as enfermeiras do plantão deixarem. :)
Fui ao supermercado com minha mãe e a babá, fizemos compras pras próximas duas semanas. Não vamos   falar sobre a cirurgia pra minha mãe. É o tipo de evento que pode causar agitação e confusão ainda maior. E nem pensar ela ir no hospital.
Amanhã é o último dia de trabalho e funções variadas.
Se a escola abrir, irei fazer minha última aula de dança do ventre. Ai, que tristeza que me dá isso...
Tenho que fazer as mãos (meus dedos estão horrivelmente roídos - sinal de que não estou tão calma assim) e pedir pra Lízia tirar o esmalte das unhas dos pés. Hoje saí com minha sapatilha Adidas. Foi o horror amarrar os cadarços. Respirei fundo e fiz o mais rápido que consegui.
Quando for liberada pra exercícios, pretendo fazer pilates e alongamento. Tocar os pés, estender o tronco. Me espreguiçar pela manhã.
E salto alto, quando será que poderei usar?
Temos que encontrar uma empregada pelo menos para meus primeiros dias em casa.
Será que vou ficar muito dura?
Será que vou sentir dor?
Estou tomando 300mg de tramadol por dia, mais paracetamol em alguns intervalos. E ainda assim sinto dor. Ah, e a gabapentina também continua, mas reduzi a dose diária pra 900mg, conforme o neurocirurgião havia sugerido. Quero me livrar desses remédios todos.
Como será que vou me sentir depois da cirurgia?
Hoje almocei no meu tio, que está preocupadíssimo comigo. Disse que não quero que ele vá me visitar, mas sei que isso é impossível. Minha mãe estava bem esperta no almoço, fazendo piadas. Adoro quando ela está assim.
Baixei um wallpaper do Buda pro meu celular.
Hoje meditei por quase duas horas de manhã. Momentos preciosos.