quinta-feira, 19 de abril de 2012

Refrescando a memória

Estou trabalhando na tradução de um livro de budismo da escola Theravada. Um presente do universo - e da Editora Global e da adorável Cristina Abdo -, mais um.
É a primeira vez que traduzo algo não ligado ao budismo tibetano, que é da escola Mahayana. Estou gostando muito, uma oportunidade linda de ver que os pontos em comum são muito maiores que as diferenças.
O mais maravilhoso é que se trata de um livro sobre o Caminho Óctuplo, um dos pilares do budismo. Assim, estou voltando a estudar o básico - que, como tudo mais, estudei mal e porcamente. Estou encantada de rever esses ensinamentos, ainda mais porque o livro é ótimo, leve, simples, fácil. (Que minha tradução faça justiça ao original.)
Consegui engrenar nesse trabalho no começo dessa semana. E as horas que passo envolvida com ele estão sendo um momento precioso de distração da dor e do problema na coluna. Que maneira espetacular de se distrair! :)
O mais notável é que pela primeira vez em muito tempo senti vontade de voltar a meditar. E fiz isso hoje. Agora é fazer como o autor diz, criar o hábito. Para ajudar, tenho um app no telefone, o Meditation Helper, no qual posso programar o tempo de meditação.