quarta-feira, 29 de março de 2017

Vish, aff, putz, nossa

Treino gostoso na Redenção. Hoje com a presença do Laírton, que eu não via há anos. Alegria. Leveza. No astral, né? Porque o corpinho... Vish, aff, putz, nossa. (Pirei com a música de PPA e Lucas Lucco, hahaha.) Pesaaaaaada. Cansaaaaaaada.
Um dia após o outro. Indo muito de leve. Sem cobrança.
Hoje um funcional rápido. E 12x 400 médio x 400 trote. Parei no meio da série. Água, descanso e foi o resto.
Parece que nunca voltarei a correr direito. (Direito pra mim, pros meus limites - parêntese pras línguas afiadas e mentes obtusas.) E se não voltar mesmo? Tranquilo. O principal já aconteceu: voltei a gostar de treinar e de correr, ainda que a corrida seja fraca, pesada, sofrida pro corpo.
Chocada com o aumento de peso. No início da semana passada, estava nos 58kg. No domingo à noite, com uma retenção de líquido violenta, que deixou as panturrilhas gigantes e doídas de tão inchadas, cheguei a 63kg! De manhã estava em 60kg. E é nisso que estou agora. Que porra é essa não sei. Tô comportada na dieta. Sem cerveja. E é tudo nas pernas, que deram aquela engrossada que eu abomino. Sem stress nisso também. Logo o peso baixa de novo.



Vish, aff, putz, nossa, agora ela vive do jeito que gosta