sexta-feira, 17 de março de 2017

Visões de mim

Libra, minha diplomata, trazendo novos ares, frescos e pacificadores, para meu Ser de Capricórnio vulcânico:

Precisas daquele texto péssimo e triste e deprimente no teu blog*,
minha amada*??? Teu blog, pelo que eu entendi...
É para compartilhares momentos bons e até momentos de superação*!!!
Mas esse texto* - pelo motivo que ele foi escrito não combina
de maneira alguma com o objetivo do teu blog...
É um texto deprimente e sem luz nenhuma para a minha pessoa, claro.

O texto removido (que eu, Libra e minhas confidentes consideramos perfeito para a finalidade a que se destinava) fala bastante da minha superação e do momento maravilhoso que vivo, mas por via reflexa. Como se eu me olhasse num salão de espelhos. Reflexos distorcidos.
Vi que eu poderia ter me tornado uma sombra obsessora na vida de quem eu amo se não me tratasse. A terapia permitiu que eu aprenda a me amar e a amar os outros de forma saudável e respeitosa - começando pela minha saúde e autorrespeito. Não forçar a barra - a minha e a dos outros. Não ficar infernizando a mim e aos objetos de meu amor com minhas neuroses, carências, expectativas, desejos, fantasias.
Amor - amizade e qualquer tipo de relacionamento, inclusive profissional - envolve os meus sentimentos e o dos outros. E respeito ao espaço e às vontades individuais - meus e dos outros. Relacionamentos benéficos se desenvolvem no espaço e nas vontades compartilhados. Sem invasão de espaço alheio e sem imposição da vontade pessoal. Se não existe essa zona mista, não funciona.
Meu olhar mudou. Mudou basicamente em relação a mim. E isso mudou tudo ao meu redor.
Olhando para trás com meus novos olhos, vi o que eu poderia ter evitado se tivesse dado ouvidos à minha intuição e observado e experimentado meus sentimentos. E ouvido o que as pessoas que me querem bem falavam.
Enfim, tudo é aprendizado. Aprendi a confiar na minha intuição e prestar atenção e dar valor aos meus sentimentos e sensações. Dar valor e ser fiel a mim antes e acima de tudo. Cortar o que é nocivo e tóxico. O nocivo e tóxico não está "fora", nos "outros"; é algo que brota na realidade criada por mim, a partir da minha experiência dos fenômenos.
Não posso impor minhas experiências aos outros. Nem permitir que tentem impor experiências a mim. O que é meu, é meu. O que não é meu, não me diz respeito.

→→→ Delírios pelo corpo* (...) terremotos causando sensações VULCÂNICAS* (...) VENTANIA* que causa LÍRIOS* na pele* (...) epidermes feitas de JARDINS* - Ser de Capricórnio*: @Lúcia Brito*!!! ^_^ ★☆