sábado, 5 de novembro de 2016

Tretas e mais tretas

Hoje de manhã me deu um certo cansaço ter que passar mais de meia hora no telefone pra cancelar o serviço recém-contratado de banda larga da Vivo/GVT. Contratei um pacote de internet de 15 mega que teria incluído um telefone sem custo por R$ 120. Aí recebo e-mail da Vivo informando que eu havia contratado um plano de R$ 140, sendo R$ 75 de internet e R$ 65 de telefone. Afffff. Tem que ter paciência.
Eu não quero telefone fixo. Deixei isso muito claro pra atendente. Como pode uma coisa dessas?
Meu cansaço é com esse misto de incompetência e desonestidade em simplesmente tudo. E fico pasma com o conformismo das pessoas. Acham isso normal.
Acham normal as prestadoras de serviço tentarem passar a perna nos clientes e ter que revisar as contas nos mínimos detalhes pra contestar cobrança indevida.
Acham normal ter que ficar em casa para vigiar os técnicos que vão instalar ou retirar equipamentos.
É uma apatia e resignação geral. Que no fim se traduz em conivência. Cumplicidade com esse quadro de desleixo, incompetência, corrupção, falcatrua.

Ainda na onda de estragos, a piscina amanheceu com um palmo de água a menos. Liguei pro técnico que cuida dela - Douglas, um doce de pessoa. Chegou aqui em meia hora, viu que o problema é uma peça gasta. Desligou o motor, vai trocar a peça na segunda ou terça.
Nesse meio-tempo, GVT ligou. Existe o plano de R$ 120 que eu havia contratado. A atendente da Vivo ontem lançou o plano errado no sistema (afffffff). Enfim, a contratação foi corrigida, e segunda-feira virão instalar o serviço. Que tem telefone. Sem ele, a banda larga fica um absurdo de cara.
Agora falta reaver meu celular maravilhoso e me livrar desse pequeno abacaxi. (Hehehehe, nada de ser ingrata, Lúcia Brito. O pequeno abacaxi está quebrando o maior galho. Só é meio lento, mas ok. Tô na fase de exercitar a paciência mesmo.)
E ir na delegacia pra dar abrir ocorrência contra NET e BLT Transportes.
E pegar o liquidificador do meu tio.
Resolvendo uma coisa de cada vez.
Andando em frente.
Sem esquentar a cabeça.