segunda-feira, 21 de maio de 2012

Good news

Hoje sim!!! Finalmente notícias maravilhosas.
Fui no neurologista clínico para o primeiro exame dele após a cirurgia. Melhor só se eu não tivesse ficado com dor alguma, mas a dor que resta é realmente apenas residual e deve desaparecer daqui a um ou dois meses. Não fiquei com lesão no ciático, minha perna esquerda já apresenta força normal, o alongamento está excelente. A cirurgia, realizada pelo neurocirurgião Albert Brasil, foi totalmente bem-sucedida.
Agora é fazer fisioterapia até não sentir mais dor. Nesse período de recuperação e reabilitação, a físio irá progredindo até tornar-se basicamente uma sessão de exercícios. E aí eu estarei pronta pra voltar a treinar. Na semana que vem, se eu estiver sem dor, poderei começar a nadar. Se tudo seguir bem, daqui a umas duas semanas poderei voltar a trotar.
Perguntei pro médico se eu poderia fazer maratona de novo. A resposta foi sim - desde que não haja dor. Claro que ele ressaltou que maratona não é algo saudável e não faz bem para a coluna (nem para nada) de ninguém, "mas existem coisas piores para a saúde".
Sim, eu tenho uma protrusão em L4-L5, mas o fato de ter tido uma hérnia não significa que terei outra. E a questão é: eu fiz essa cirurgia para ficar bem e ter qualidade de vida. E minha qualidade de vida está diretamente ligada à prática esportiva. Eu sei que faço atividades desgastantes, mas vejo da seguinte maneira: estou com quase 50 anos, o meu corpo está naturalmente envelhecendo e se desgastando - e ele vai apresentar problemas com treino ou sem treino, mais cedo ou mais tarde. Eu prefiro que seja com treino - e mais tarde, é claro - e prefiro aproveitá-lo ao máximo enquanto for possível. Aproveitar ao máximo não quer dizer que eu vá acabar com minha saúde treinando demais. Significa apenas que vou curtir as coisas que me dão prazer enquanto puder. Não vou treinar como se tivesse 20 anos de idade - mas também não vou me economizar como se tivesse operado a hérnia aos 20 anos de idade. Vou treinar dentro do que é possível para o meu corpo agora. É isso. Se ele  puder correr maratona, vou correr maratona.
Saí do consultório exultante. Liguei pro namorado, pro ex-marido, pro treinador.
E pela primeira vez senti vontade de trotar.
Também olhei pela primeira vez a ressonância feita no dia 1º de maio. A hérnia havia piorado de forma impressionante desde 23 de fevereiro, data da ressonância anterior. Ela simplesmente passara a comprimir totalmente o canal da medula. Minhas ressonâncias são perfeitas para uma aula sobre desenvolvimento de hérnia de disco.