terça-feira, 22 de maio de 2012

Vizinho ridículo

Intolerância e mesquinhez são uma infelicidade. E os infelizes que padecem desses males têm uma acentuada tendência de contaminar o ambiente ao redor com sua miséria e pobreza de espírito.
Hoje fiquei sabendo que um morador do prédio nos fundos do meu denunciou nosso condomínio para o Ministério do Trabalho devido a um conserto no telhado do meu apartamento. (Há mais de três anos eu tenho problemas com goteiras, que espero terem acabado com essa obra.) O sujeito deu-se ao trabalho de registrar imagens enquanto o zelador e os homens que fizeram o conserto estavam no telhado averiguando a situação. Quando o fiscal do ministério veio aqui, a obra já havia acabado, e não fomos multados. Não sei se seríamos, não sei se a obra seguiu os protocolos de segurança do trabalho.
O que eu sei é que o tal vizinho não encaminhou sua denúncia motivado pela preocupação com a segurança dos trabalhadores. A criatura fez isso apenas para causar problemas para o nosso condomínio. O motivo? As festas no salão do meu prédio. No ano passado foram DUAS festas. Duas. No ano inteiro. Um aniversário de 15 anos e uma formatura universitária. Foram festas ruidosas, mas acabaram ali pelas 4h e não foram uma esbórnia. Nada que pessoas normais não possam tolerar (tanto que todas as outras centenas de vizinhos não reclamaram.). Pois nas duas ocasiões o vizinho chamou a BM (que veio e nada fez, é claro, a não ser pedir para que baixassem um pouco o volume da música) e alvejou as vidraças do salão com ovos. Quanta intolerância.
Fiquei pasma. Não posso entender o que leva uma pessoa a agir dessa forma, não sei como alguém pode se sentir tão importunado pela alegria alheia.
No prédio desse vizinho ocorrem festas de aniversário de criança com mais frequência que as festas aqui no nosso salão. E a criançada passa a tarde correndo, brincando e gritando por uma área aberta. Elas que se cuidem, ou qualquer dia também serão alvejadas com ovos. Ou a BM será acionada para que elas parem de fazer barulho.