terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Desfocada

Desconforto.
Náusea.
E tristeza.
Que porra é essa?
Nada.
Não é nada.
Absolutamente nada.
Não existe.
Não está no presente.
O passado passou.
O futuro não chegou.
Sensações inconsistentes.
Pura criação mental.
Reagindo (mal e erroneamente) a fantasmas e fantasias.
Basta ajustar o foco e tudo se desvanece.
Qual o foco?
O cerne de felicidade que independe de causas e condições.
A felicidade que surge espontaneamente. Que faz sorrir sem motivo.
Isso existe. Aqui, agora. No presente.
Paz. E amor.