sábado, 11 de fevereiro de 2017

No bat-local

De novo aqui. Na praia, na sacada.
Mas uma Dakini Lux diferente a cada vinda. Agregado corpo/mente em transformação constante. Fluxo contínuo. Impermanência.
Sentei na sacada pra ouvir e refletir. E agradecer ao universo.
Muita luz. Lux shinning bright.
Estreia da cuia que comprei ontem à noite na praça aqui da rua. Eu tinha visto à tardinha. Quando voltei mais tarde pra ver a Lua cheia, o casal continuava lá. Encontrei a cuia perfeita pra usar com minha mateira. As outras duas que tenho são grandes demais, uma luta pra colocar no compartimento, hahaha. Ia acabar estragando a mateira e/ou fazendo grande lambança. Sem falar na gastança de erva-mate, que está cara pacas. Aliás, dessa vez, nada de curtir o porongo deixando com erva. Já saí tomando o primeiro mate. Como disse o vendedor/artesão, trata-se de um "porongo doce", não deixa muito gosto antes de estar curtido. Não deixou gosto nenhum, na real.