domingo, 12 de fevereiro de 2017

Lua, eclipse, limpeza



O eclipse não vi. Mas me alinhei totalmente com a energia. Intuitivamente, vinha me preparando há dias. E pude ver a Lua linda e cheia à beira-mar ontem à noite.
Abençoada que sou. Dakini Lux. Dakini Tigrinha. Mil codinomes. Tigrinha. Lux. Lu. Lulu. Dakini Espertinha. Ser de Capricórnio.
Hoje Rosa mandou um texto bárbaro sobre o momento astrológico. E Libra mandou um áudio sobre o momento astral iniciado em 12 de janeiro. Tudo totalmente a ver com o meu momento.
Barravento, disse Giuliano no início da semana.
Pra completar, terminei a primeira leitura do livro sobre a Lava Jato.
Agora só falta ficar curada da faringite. (Terei que ir ao médico.) Terminar a segunda leitura do livro. Terminar a tatuagem. (Ai meu deus, que agonia. É terrível conviver com uma tattoo inacabada, não posso nem olhar pra ela.) Terminar a tradução budista. Ler o livro da Rosa. Terminar A profecia celestina.
E aí vem As leis do sucesso. E novas traduções. E outros trabalhos. E, e, e...
E acabo de achar o óculos que havia desaparecido! Que maravilha. Óculos de leitura. Sabia que não podia ter perdido. Ficou aqui, atrás das almofadinhas do sofá. Revirei esse apartamento atrás dele na outra vinda. Não teve jeito. Agora, enquanto escrevia sobre o que faltava, pensei que faltava achar os óculos. Rá! Deu o estalo, fui olhar no sofá. Bingo!