quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Jardim genealógico - 1


Jardim genealógico. De amores-perfeitos.
Em cultivo.
As duas primeiras flores desabrocharam hoje.
Eu & Lízia. Nada mais natural e orgânico do que começar por nós duas.
Na semana que vem, as duas outras. Minha mãe e minha irmã.
A ideia do jardim genealógico foi plantada no dia 27 de janeiro. Aqui no blog. A semente foi o insight de tatuar um lírio para lembrar/simbolizar minha mãe. Foi a primeira flor que lembrei que ela gostava muito. Mas na sequência lembrei das violetas que ela cultivava no apartamento. Aí resolvi que seriam violetas. Ao pesquisar imagens de violeta no Google pra ilustrar o post aqui, a ideia evoluiu. Seria um jardim genealógico. Três flores: Mãe, eu, Lízia. Enquanto a ideia germinava velozmente, recebi mensagem de minha irmã, ou lembrei dela, não sei ao certo. Só sei que na hora o projeto do jardim foi ampliado: quatro flores. Maria Helena, Lúcia, Laura, Lízia.
Ao olhar as imagens de violetas, apareceram os amores-perfeitos. E lembrei do quanto a mãe gostava de amores-perfeitos. Lembrei de nós apreciando canteiros multicoloridos em Nova Petrópolis e Gramado. Fiz uma enquete com Lízia e Laura sobre qual seria a flor preferida da mãe. Lízia tinha certeza de que eram os amores-perfeitos.
No domingo 29 de janeiro as flores foram escolhidas. Lízia e Laura escolheram as delas. E nós três escolhemos a da mãe/avó.
Jardim genealógico de amores-perfeitos. Perfeito.

Como disse hoje um amigo: "O jardim de uma Rainha".
Como disse também hoje uma amiga: "Você tem razão. São vários os amores perfeitos".