domingo, 1 de janeiro de 2017

Aventuras na praia

Louco. Uma semana aqui. Não fui à praia nenhuma vez. Mal saí. E adorei. Sucesso total. Missão cumprida.
Não, não terminei o Napoleon Hill, mas falta pouco. Não tem como acelerar. É uma pedreira. Rendeu muito, dado o grau de dificuldade.
Ontem no fim da tarde Tigrinha saiu em busca de dinheiro, comida e roupas. Que loucura. Que loucura.
Saí a pé porque de carro era intransitável.
Négina's. Mais um biquíni, um short, um short-saia e um biquíni pra filha. Estou me sentindo a magra, porque é tudo P pra mim. E o triste é que não tem P aqui. As lojas trazem mesmo é M. Faz sentido vendo o pessoal. Enfim, queria comprar mais shorts-saias. Me meti nuns shoppings populares que não conhecia. Não tinha nada.
Rá! Troquei o cartão de memória do MP3 player bagaceiro. Finalmente! Fui lá na banquinha de novo, pois o troço não funcionava. Os comerciantes estavam achando que o problema eram as minhas músicas. Só que não. A dona foi gravar músicas pra mim, e aí deu o mesmo chabu. Beleza! O novo cartão funcionou que foi um espetáculo, hehehe. Tigrinha tunada.
A caça à comida foi hilariante. Primeiro desisti do mercadinho porque as filas do caixa eram gigantescas. Aí vi um frango de TV de cachorro. A glória! Aceitam cartão, claro. Mas... as máquinas de cartão não estavam funcionando aqui ontem por conta do movimento. Tigrinha zonza e exausta foi atrás de um caixa eletrônico, que era longe pacas. Aí conseguiu dinheiro. E o frango, jantar chique e diferenciado de ano-novo.
Às 23h30 fui deitar, não tinha mais como trabalhar. Achei que fosse ficar acordada um tempo por causa dos fogos. Não ouvi nada. Dormi instantaneamente. Ressuscitei às 9h30 de um 1º de janeiro lindo.
Só saí às 21h. Pra correr. Com meu MP3. 10km, média de 5:38. Noite perfeita. Fiquei morta, mas gostei. Será que um dia volto a correr? Tomara. Estou decidida a trabalhar para isso.
Todas experiências aqui me deixaram imensamente satisfeita, feliz e orgulhosa. Estou focada no que é prioridade. Cada vez menos dispersiva (mas ainda tem chão nesse quesito). Muito autossuficiente. E pacífica. Flavia comentou hoje que ontem eu parecia muito, muito cansada, mas que minha voz tinha uma alegria e uma leveza deliciosas. E é como me sentia. E me sinto.
Há uns meses, esse caos de Capão e essa pressão do trabalho teriam me deixado surtada. Toda tensa. Agora é só riso. E vamos em frente.

Mais um espetáculo aqui da sacadinha

Glamour e elegância para encerrar 2016

10km depois, pra lá de suada e acabada