sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Limites, limites

Quando selecionei a carta de hoje e veio O Eremita, tive uma ideia de texto ao ler o significado. Deveria ter anotado a baseline, porque esqueci. Eita porra.
Ah! Mas lembrei do principal. Limites. O limite do que eu posso fazer. Do quanto eu posso fazer.
Letícia chamou minha atenção para isso. Falei que havia finalizado o Napoleon Hill gigante, uma cruz em minha vida ao longo de 2016. E aí engatei no que quero fazer. Isso, aquilo, aquilo outro, mais aquilo. Ela pontuou que eu havia realizado uma proeza ao terminar esse trabalho. E que talvez não devesse exigir tanto de mim - porque eu falei que poderia ter feito mais rápido, assim e assado e aí teria tido tempo pra isso, aquilo e aquele outro.
Insaciável. Incontentável.
Passei 11 meses sofrendo. Ralando. Procrastinando. E finalmente consegui. Fiz. Fiz bem feito. Muitíssimo bem feito. Mais mais bem feito do que já foi feito até agora. E vou deixar ainda melhor. Muito melhor. Mas muito melhor mesmo.
Em vez de me congratular por minha realização, engatei em novas metas e engenharia de obra pronta. Ah, para, Lúcia Brito!
Parei.
Nesse final de semana, vou trabalhar pouco (ou nada). Vou curtir. Me permitir. Porque mereço. E preciso.


Cultivando a maturidade e a inteireza
que brotam da reflexão


O arcano IX, chamado “O Eremita”, emerge como arcano conselheiro para este momento de sua vida, Lúcia, sugerindo um momento em que você precisará agir com o máximo de maturidade e paciência possíveis. Você precisará aprender a respeitar o “tempo certo” neste momento de sua existência e perceberá que será preciso bater mais do que uma vez na mesma porta até que ela se abra. Nem sempre o rio corre mais rápido apenas porque queremos, Lúcia! Três virtudes serão fundamentais neste momento de sua vida: a paciência (para lidar com as diferenças), a prudência (a fim de jamais confiar inteiramente em ninguém) e a persistência (para compreender que, no que diz respeito ao amor, muitas vezes é preciso bater várias vezes numa mesma porta). O momento pede circunspecção, meditação e capacidade de espera. Você poderá mudar muitas coisas que lhe incomodam, se você souber observar o tempo certo, mas precisará também ter humildade para entender que nem tudo é possível. Ao aceitar os limites, evoluímos como pessoas.
Conselho: Momento de cultivar a paciência, tudo tem seu tempo certo.