terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Livre

Acordei hoje sabendo-me livre. Mulher de simbolismos, achei auspicioso assumir essa liberdade no último dia do mês. Na virada.
E aí aparece Bukowski:
"A alma livre é rara, mas você reconhece quando a vê - basicamente porque você se sente bem, muito bem, quando está perto ou junto dela."
Isso explica tanto, tanto sobre mim. Especialmente sobre quem me faz bem.