quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Só falta um

Retomei hoje um trabalho que interrompi há meses. Mais do que atrasado - e já pago. Um livro budista, para meu editor mais querido, companheiro de sangha.
Agora é terminar esse e nunca mais cometer os absurdos nos prazos (e em todo o resto). Traduzi pouco hoje, mas traduzi rápido, leve. Curtindo. Fluindo.
 
Escrever aqui diariamente, mesmo quando não tenho ideias e/ou vontade acelera minha habilidade com as palavras em tudo. Exercício sagrado.

Na Citadel, trabalhando na preparação de livro sobre as operações Lava Jato e Mãos Limpas. Trabalho extenuante. 511 notas de fim de texto que exigiram conferência de grafia, de informação e ainda padronização. Misericórdia.
E me preparando pra encarar pela última vez A lei do sucesso, o calhamaço de Napoleon Hill. Dharana começou a montar o livro, e teremos um longo e trabalhoso fechamento. Mas vai ficar bem bom. Minha retradução está boa. Ficará ótima com a última leitura. Dharana está fazendo uma diagramação muito melhor que as originais (como já fez nos outros livros de Napoleon Hill que editamos). Ou seja, vai ficar bom e bonito. :)
 
E hoje teve musculação. E teve mais trabalho à noite.
E teve uma cerveja pra comemorar as coisas boas - entre elas, a Lua cheia linda, linda, linda.
E daqui a pouco já é quinta-feira. E logo mais é sexta, e lá vou eu pra praia. Ver a Lua no mar. Ainda não sei se em Capão ou em Garopaba. Muito em breve, no Rio.
Let it shine.
Lux, the Tigress Dakini, is rising up. High and high.