domingo, 23 de outubro de 2016

Eu amei te ver, eu amei me ver

Há exatamente um mês, fui pro Venê na sexta-feira com amigas. E rolou um amei te ver duplo. Escrevi aqui sobre isso no dia seguinte (http://dakiniespertinha.blogspot.com.br/2016/09/um-nome-duas-grandezas.html). Amei ver o passado e ver que era passado. Amei me ver livre de um padrão de comportamento nocivo. E amei ver e conhecer o novo. E amei me ver agindo de um jeito totalmente inédito.
Ontem fui pro Venê e rolou mais um amei te ver. Amei te ver que não se repetirá e no qual amei me ver também.
Em resumo: estou amando me ver.

Ah 
Quase ninguém vê
Quanto mais o tempo passa
Mais aumenta a graça em te viver

Ah
E sai sem eu dizer
Tem mais no que te mostro
Não escondo o quanto gosto de você

O coração dispara
Tropeça, quase para
Me encaixo no teu cheiro
E ali me deixo inteiro

Eu amei te ver
Eu amei te ver
Eu amei te ver

Eu amei te ver
Eu amei te ver
Eu amei te ver

Ah, ah
Quase ninguém vê
Quanto mais aumenta a graça
Mais o tempo passa por você

Ah
E sai sem eu dizer
O tanto que eu gosto
Me desmancho quando encosto em você

O coração dispara
Tropeça, quase para
Me encaixo no teu cheiro
E ali me deixo inteiro

Eu amei te ver
Eu amei te ver
Eu amei te ver

Eu amei te ver
Eu amei te ver
Eu amei te ver

O coração dispara
Tropeça, quase para
Me enlaço no teu beijo
Abraço teu desejo

A mão ampara a calma
Encosta lá na alma
E o corpo vai sem medo
Descasca teu segredo

Da boca sai: Não para
É o coração que fala
O laço é certeiro
Metades por inteiro

Não vou voltar tão cedo
Mas vou voltar porque
Eu amei te ver
Eu amei te ver
Eu amei te ver