quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Feriadinho adorável

Feriadinho bom esse.
Intensa atividade culinária. Um toque esportivo, uma dose cultural.
Preparei um panelão de sopa de legumes. E ainda um creme de abóbora.
Com tanto amor que no meio do cozimento formou-se um coração de sementes de abóbora. Adorável. Estou realmente amando cozinhar e me cuidar.


Ia almoçar em casa, mas rolou convite das amigas pra um japonês. Treinei pouco antes, comi horrores. Mas não foi nada perto do jantar. Pouca pizza, mas uma garrafa de vinho inteira. Sozinha. E umas tacinhas de espumante depois.
Entre o almoço e o jantar, a abertura da exposição Eu ilustro Urbim. Linda, emocionante. Adorável como ele. Momento de rever ex-colegas de Zero Hora. E reencontrar um casal que tinha visto mais cedo na academia. Um deles me reconheceu. Eu não, todo mundo arrumado, muito diferente, hahaha. Terei que voltar na exposição pra ver tudo com calma e ler todas as informações. Já convidei uma amiga pra levarmos a filha dela, que com certeza vai amar também.
Saudades do Urbim, do vozeirão e daquela risada que fazia rir junto. Ele fez um dos elogios mais incríveis que li nessa vida. Mandou um inbox no Facebook dizendo que me considerava a madrinha do filho Emiliano no jornalismo. Trabalhei com Emiliano na Eaí?, ele era um guri recém-formado. Tão, mas tão parecido com o pai que, como o Urbim, era impossível não amar. Urbim disse que Emiliano falava sobre mim, sobre como eu trabalhava. Foi daquelas coisas que dão orgulho, alegria, a felicidade plena de saber que se fez algo que fez diferença.