quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Segunda noite sem

No jantar de domingo, conversamos muito sobre as medicações que estou usando como suporte na terapia. Fui duramente criticada. E incentivada a parar.
Uma delas é a quetiapina para dormir.
Meu problema nunca fui pegar no sono. Adormeço rápida e tranquilamente. O problema foi que, durante anos, eu acordava por volta das 4h todas as noites e levava muito tempo pra dormir de novo - e várias vezes simplesmente não dormia mais. Pode ter sido muito em função da pré-menopausa.
Comecei a usar quetiapina no final do ano passado, pois o sono estava crítico. Foi excelente.
Na segunda-feira, resolvi deitar sem tomar nada. A experiência foi um sucesso. Dormi. Acordei de madrugada, mas voltei a dormir em pouco tempo. Despertei às 5h, levantei por volta das 6h me sentindo ótima. Tive um pouco de sono à tarde. "Normal", foi o comentário ontem à noite. "Dois dias e isso vai passar."
Ontem deitei de novo sem remédio. Dormi melhor. Acordei ótima pouco depois das 6h. Com a medicação eu estava sentindo muita preguiça para sair da cama.
Mais um avanço na prática de soltar o que não é mais necessário. E no aprendizado de caminhar pelas próprias pernas.