sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Questão de escolha


Felicidade é uma escolha, não um resultado.
Nada vai lhe fazer feliz até você escolher ser feliz.
Nenhuma pessoa vai lhe fazer feliz a menos que você decida ser feliz.
Sua felicidade não virá até você. Ela só pode vir de você.

Tudo começa pelo desejo, motivação - e decisão. E depois tem que agir. Tem que saber o que quer e estabelecer um plano para chegar lá.
Difícil ser feliz sem ter um conceito pessoal de felicidade. Se uma hora quer uma coisa, noutra quer outra. Só querer também não resolve. Do céu, só chuva.
E achar que a felicidade está do lado de fora (que na realidade última nem existe), nos outros ou nas coisas... aí sim. Ou melhor, aí mesmo é que não.
Tenho certeza de que a coisa que sempre me tira do buraco nos piores momentos é o meu núcleo de felicidade. Por mais que "do lado de fora" esteja tudo um caos, um desastre, sempre vislumbro essa centelha interna.
As condições "do lado de fora" evidentemente me deixam mais feliz - ou menos -, porque não estou lá muito evoluída na equanimidade. Mas não são o fator decisivo. Posso me sentir muito triste várias vezes. Mas não me sinto infeliz. A não ser quando perco minha parca lucidez e fico achando que perdi do lado de fora uma coisa que está dentro de mim.
Escolhi ser feliz faz tempo. Essa escolha básica acarreta várias escolhas secundárias - no atacado e no varejo. Da prática budista à dieta, vou escolhendo a cada instante o que parece o melhor caminho para a felicidade temporária. Mantendo como meta última a felicidade definitiva.